El enlace fue enviado a su email.

No se pudo enviar el enlace a su email. Por favor, verificar su correo electrónico.

Missing captcha code. Please check whether your browser is not blocking reCAPTCHA.

Invalid captcha code. Please try again.

Ayuda en línea

GEO5

Tree
Settings
Producto:
Programa:
Idioma:

Ensaio de Penetração de Cone (CPT)

O ensaio de penetração de cone (CPT) consiste em empurrar um cone de penetração com recurso a um sistema de varas de penetração com velocidade constante de 20 - 25 mm/s no solo. Durante o ensaio de penetração, são registados os valores da resistência de cone qc e do atrito superficial local fs. A resistência de cone representa a resistência contra a penetração de um espigão cónico no solo (subsolo). O diâmetro da ponta do cone tem, normalmente, 25 - 50 mm.

A resistência de cone qc [MPa] representa o rácio da força registada na ponta do cone Qc e a área da projeção normal da ponta do cone Ac.

O atrito superficial local fs [kPa] representa o rácio da força registada na manga de atrito Fs e a área da sua superfície As.

O resultado do ensaio de penetração de cone é uma distribuição em forma de gráfico.

O ensaio de penetração de cone (CPT) serve de parâmetro a introduzir para as análises nos programas "Estaca via CPT" e "Sapata via CPT" e para a modelação estratigráfica no programa "Estratigrafia".

Os ensaios CPT podem ser importados para o programa através do botão "Importar". O procedimento de tabelas de dados (*.txt) é descrito com mais detalhe aqui.

O nome do ensaio CPT e o deslocamento vertical em relação à origem devem ser introduzidos na caixa de diálogo "Novo ensaio de campo". No programa "Estratigrafia", é necessário introduzir as coordenadas x, y, z.

Os valores medidos da resistência de cone qc são introduzidos na tabela.

Ao calcular a capacidade de suporte da estaca, de acordo com a teoria de Schmertmann, o atrito local fs deve ser introduzido.

Ao realizar a classificação dos solos, os valores da pressão nos poros u2 devem ser introduzidos. Se a pressão nos poros não foi obtida (CPTu), esta pode ser calculada a partir do nível freático definido, através do botão "Calcular u2".

Caixa de diálogo "Novo ensaio de campo"

Bibliografia:

EN ISO 22476-1: Geotechnical investigation and testing - Field testing. Part 1: Electrical cone and piezocone penetration test, 2013.

EN ISO 22476-12: Geotechnical investigation and testing - Field testing. Part 12: Mechanical cone penetration test (CPTM), 2009.

Roy E. Hunt: Geotechnical Engineering Investigation Handbook, Second Edition (CRC Press, 2005)

Pruebe GEO5.
Gratis y sin restricciones en el análisis.